Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fode Fode Patife

Fode Fode Patife

Arma de Penetração Massiva

10.03.11

«Isso é fundamental. Posso pôr no gráfico?». Bastou ela dizer-me isto em plena reunião de trabalho para eu ficar a pensar na moça de modo pornográfico. Nada é por acaso e tenho a certeza que isto foi uma mensagem subliminar que o Patife, dada a sua destreza imaginativa, conseguiu perceber. Ainda tentei abstrair-me mas o mal já estava feito. E toda a gente sabe que o Patife gosta é de fazer o bem. Ou de o fazer bem, vá. Por isso, e como já era tarde, disse à moça para fazermos uma pausa para jantar enquanto amadurecíamos umas ideias. Claro que a única ideia que amadureci foi a de a afiambrar à canzana enquanto lhe espetava uma cartuchada de nalgadas à bruta. Mas esforcei-me por me portar bem, tarefa que teria sido bem sucedida não fosse aquela mariquice de bolinho com molho de framboesa que ela pediu para sobremesa e que lhe motivou a expressão - Esta sobremesa está a deixar-me água na boca. Foi quanto bastou. Vocês sabem que eu tenho problemas em travar a língua - quase tanto como têm as moças que me mamam no Pacheco. Por isso, assim que ela soltou que a sobremesa lhe estava a deixar água na boca só me ocorreu dizer-lhe: Também te posso deixar algo na boca, mas não é água. Ainda pensei que ela fosse ficar ai Jesus, ó tio ó tio, mas a verdade é que ficou foi ó cio, ó cio. Antes tivesse fugido com medo pois na cama veio a revelar-se uma verdadeira saca de batatas. O raio da mafarrica não tinha capacidade para aguentar um nabus-erectus desta magnitude – aviso sempre que isto não é para amadoras, mas não me ligam - e ficou o tempo todo quietinha sem se mexer, factor que me levou a considerá-la uma autêntica arma de destruição passiva. A sorte é que o Patife tem um nabo que é uma verdadeira Arma de Penetração Massiva.

36 comentários

Comentar post

Pág. 1/4